B de Brasil, b de burrice

Recomendamos o texto de Eliane Brum (indispensável) sobre o fato de nós, brasileiros, termos “atingido a burrice máxima”. Essa ideia é retratada a partir do episódio dos ataques à figura de Simone de Beauvoir deflagrados depois da inclusão de uma célebre frase da intelectual francesa – “Não se nasce mulher, torna-se mulher” – como tema da redação do ENEM deste ano. Eliane fala do tema citando o necessário livro da filósofa Marcia Tiburi, Como Conversar com um Fascista:

“Compreender o confronto atual como um confronto entre direita e esquerda, desenvolvimentistas e ecologistas, governistas e oposicionistas, machistas e feministas é, segundo Marcia Tiburi, uma redução. O confronto atual seria mais profundo e também mais dramático: entre os que pensam e os que não pensam.”

Simone de Beauvoir foi tachada de

Simone de Beauvoir foi tachada de “baranga” por um político brasileiro inconformado com o feminismo como tema da redação do ENEM

Responder a B de Brasil, b de burrice

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s